quarta-feira, 12 de julho de 2017

Desperta! (Luíz Gonzaga Alves)




Por que depedras tanto a natureza
Homem insensato de viver sem tino?
Tua vida sem ela é uma incerteza
Triste, sem ela, será o teu destino.

Com teu hábito mau de destruir
Alteras o ritmo normal da vida.
Onde chega teu progresso, vai o poluir,
Levando bagagem, de morte bem provida.

É tempo ainda de mudar o rumo.
Do que tens feito, analisa bom resumo
E deixarás a ilusão, conhecerás a verdade.

Busca vencer teus erros seculares,
Mister se faz vida nova começares,
Despertando enfim, para a grande realidade.

--

Poesia de meu amado e saudoso avô, Luíz Gonzaga Alves



Nenhum comentário:

Postar um comentário