terça-feira, 31 de março de 2015

Una

Quando, ainda que por instantes
...silencio a mente
...calo o ego
Somem os limites da pele
Sou una com o Universo

Quando, ainda que por segundos
...subo a montanha afinal
Vejo além do horizonte
Sou una com o Nagual

E toda a dor se desfaz
Perde sentido, o rancor
Emerge de dentro, a paz
Irradio luz
Sou amor


(Flavia Alves)





Nenhum comentário:

Postar um comentário