terça-feira, 7 de outubro de 2014

Poesias Vivas

(poemas e poesias escritas para Leandro Mattos)

"Inundação"

Você veio, meu ranger
E silenciou a dor
...afastou a solidão
Não completou
Somos inteiros
...arqueiro meu
Você me transborda
...inunda
...de amor

--

"Segundos"

Durante o tempo que estou afastada de você
Sinto uma imensa saudade
Parece até exagero...
Mas, garanto, é doce verdade!
Cada segundo ao seu lado
Vale uma eternidade
E os instantes sem você
(para o meu coração)
...são pura maldade!


--

Silêncio morno
Enlace de jornadas
Inevitável crescer
Ser, sermos... Amar você.

--

Ah, amor meu
Como você consegue
...suportar a minha dor?
Não sou fácil
Nunca fui
Apenas posso agradecer
...por tudo
...por você
Tudo o que é
...que somos
Tudo o que você faz
...e fazemos

--

"Castanho"

Quero mergulhar
Em você
No brilho
...do castanho olhar
Quero trocar
Crescer
Aprender e ensinar
Ser
Quero amar
Permitir
Deixar fluir
Viver

--

"Tecendo sementes"

Os abraços reais são sempre os mais belos
Os beijos, ternos
O afeto, nossas risadas, o olhar
Tudo isso torna mágico o viver
A vida, um sonhar
...e as poesias, vivas!
Juntos vamos tecendo nossos sonhos
Alguns palpáveis
Outros, apenas viagens
...de nossas imaginações
Jornadas repletas de sementes
...de um futuro entrelaçado
Que podem vir a brotar
Docemente



(Flavia Alves)









Nenhum comentário:

Postar um comentário