quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Renascimento

(deviantART)

Já estive em tantas encruzilhadas, bifurcações de tantos caminhos...
Fiz da estrada minha morada... E do caminhar, meu destino.
Encarei espelhos e oráculos.
Mudei e transformei conceitos.
Fiz, agi. Não tentei.
Alma escoteira, o melhor possível sempre pareceu pouco.
E tropecei. Errei. Chorei... 
Me larguei. 
Abandonei o amor por mim em algum trecho de alguma trilha que tomei.
Afundei e mergulhei em minha alma.
Parei de lutar... pelo menos por agora.
Pelo menos agora, permito que as águas turvas me envolvam.
Lama. Escuridão. Incerteza.
Chego ao meu limite.
Olho para a superfície distante... mal consigo enxergá-la.
O ar começa a rarear... Os pulmões começam a arder.
O instinto de sobreviver emerge com força.
Meus músculos doem.
Sinto cãibras. 
Dor. 
Nenhuma dor é maior do que a que lateja no coração.
Tolo é o outro...
Mais tola eu por amá-lo.
Tolice maior por não me amar.
Súbitamente, como uma corrente elétrica, abro bem os olhos e sinto meu corpo novamente...
Não posso respirar na água... Não mais. Não nesta existência.
Inclino e toco o fundo lodoso com os pés.
Dobro as pernas e me impulsiono.
Dou algumas braçadas... Vou conseguir. Estou conseguindo.
No lodo e na lama, ficam turvos os sonhos que ousei sonhar.
Na escuridão das águas fica o meu pranto, a minha dor... Fica o amor.
Passado.
Chego na superfície... finalmente.
O ar que já não existia em mim, invade meu corpo e me deixa atordoada.
A luz do sol quase me cega... 
Boiando nas águas de mim mesma, vou acalmando a respiração e olhando o céu acima... Tão azul. Tão belo.
Estou deitada na areia morna, na relva macia, nos meus braços.
Estou nua para o mundo.
Mas isso não importa mais...
Minha sinceridade, visceral, é parte de mim mesma.
O carinho por quem amo e amarei, é igualmente essência de mim...
Tinha tudo para ser amarga... 
Mas, não sou.
Não importam os tropeços...
Serei o que sou. Mudarei quando tiver que mudar.
E viverei.
E renascerei.
E amarei novamente.
Mas, desta vez, amarei primeiro a mulher do espelho.







Um comentário:

  1. "Mas, desta vez, amarei primeiro a mulher do espelho." PERFEITO*

    ResponderExcluir