quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Reflexões sobre a impermanência



Eu realmente acredito na impermanência... No fato, inegável, que tudo e todos mudamos sempre. Não há como evitar isso (e eu nem quero evitar). E sigo lembrando das mandalas de areias coloridas dos monges budistas e foco as minhas emoções nas águas de Heráclito.

Cada um só pode ser aquilo que é. Cada mudança emerge apenas de dentro para fora... Assim, sigo sendo o que sou. Mudando quando ocorrem as mudanças em mim. Crescendo e me lapidando. Errando e buscando acertar. Faço o meu melhor, não estou "tentando" nada. Estou fazendo. Estou mantendo a mente aberta. Estou atenta aos sinais do universo, da vida e dos meus caminhos.

Qual é o problema afinal? Somos pessoas demais. Simples assim.


Primeira pessoa do plural.


Nenhum comentário:

Postar um comentário