sábado, 9 de novembro de 2013

Engolindo beijos


Confesso, não sei bem o que fazer
com os beijos que quero e não posso lhe dar
Tento disfarçá-los com sorrisos
Os engulo entre risadas e o sonhar

A vontade de lhe abraçar e enlaçar
é ainda mais difícil de sublimar
Controlo meu corpo, desejo, minha energia enfim...
Mas a verdade é que trago você em mim

E sua presença ora quente, ora morna
aquece meu coração e minha alma
Quase esqueço nosso acordo e suas regras
Aflora meu amor e a paixão quase me atropela

Meu alento é saber que culpa não tenho
nenhuma sobre esta incontrolável emoção
Ninguém pode realmente prever o futuro
E nem você mandar em seu coração...


(Flavia Alves)



Nenhum comentário:

Postar um comentário