quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Cirandas



(pintura de Alexandra Levasseur)


Cirandas de palavras, de atitudes, de sonhos e de emoções
Respirar torna-se tarefa estranha, quando emerge o espanto inevitável
Espelho de tantas jornadas, ecos de vidas passadas, mãos atadas...
Sons esquecidos, memórias fragmentadas, informações incompletas
Castigo será esta consciência? Ou é destino descobrir e saber?
Enlaces diáfanos e breves, desejo e estranheza, confusos sentir e querer...
Reflexão necessária... O não-racionalizar. O que devo fazer com o amar?


(Flavia Alves)

Nenhum comentário:

Postar um comentário