quarta-feira, 27 de agosto de 2014

A casa na floresta


Era noite. Eu olhava os detalhes da casa de madeira com atenção, pois iríamos morar ali, naquele lugar... Eu e minha família. Meu companheiro andava por outro cômodo, e assim, conversávamos e analisávamos se era um caso de reforma, ou se teríamos que construir uma nova casa, mais perto da orla da floresta.

- Não vejo muita solução... Está caindo aos pedaços.
- É... Está mesmo ruim. Não sei se deveríamos desistir logo desta casa.

De fato. A casa por onde andávamos era muito velha, tinha centenas de anos e o que denunciava isso eram os vidros grossos e disformes, e aspectos da construção que remetiam até mesmo à Idade Média. A varanda da casa era estranha e ficava sobre um pequeno córrego, que seguia poluído e escurecido.

Uma risada de criança chamou a minha atenção e vi um menino de cabelos escuros e cacheados correndo alegre pela casa, fazendo o chão de madeira ranger com seus passos, mesmo tão leves. O sorriso dele era contagiante! Olhei para fora da casa, ainda sorrindo e notei que uma tempestade se aproximava rapidamente. 

Apressada, alertei meu par e começamos a fechar as janelas e portas, pois eu sabia que as águas seriam intensas e talvez parte da casa não resistisse. O vento erguia as folhas secas da floresta e fazia ranger o teto e cada pedaço daquela casa.

Acordei.

*  *  * 

Qual o limite para percebermos que algumas vezes as velhas crenças precisam ser derrubadas? 

O destino assume o papel de tempestade e os ventos da impermanência nos mostram que tudo e todos mudam.








sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Mantra


Se você é grato por algo...
Agradeça. Agradeça sempre.
A gratidão deve ser luz que guia e inspira.
Deve ser um mantra.
Repetido. Entoado.
Recitado. Cantado.
E esta vibração deve estar sempre em nossos corações, porque estamos aqui, neste planeta, para aprendermos uns com os outros... E com nosso 'Eu' interior.
Portanto: vibre.
Demonstre. Verbalize.
Cante. Dance.
A gratidão é um mantra.


(Flavia Alves)

Viver


"Somos espíritos em uma jornada humana..."


Não podemos pensar que seríamos mais felizes se tivéssemos levado adiante uma antiga faculdade, ou aquele curso de francês que começamos e não terminamos. Nem que seríamos mais plenos se morássemos na Nova Zelândia ou viajássemos para a Espanha. Não podemos condicionar nossa alegria à um imóvel, ou dois, ou um prédio inteiro! Não devemos! Não é isso que nos trará a paz que buscamos.

Como disse um certo personagem de filme, nós não somos o conteúdo de nossas carteiras, sejam elas recheadas ou não. Não somos as nossas roupas, sejam elas boas, velhas ou estilosas. Nós não somos os nossos empregos, amemos eles ou não!

O Trigueirinho tem um questionamento brilhante que diz mais ou menos assim: 'Trabalhou a vida toda, economizou muito e comprou uma casa. Daí, veio a enchente e destruiu tudo! Qual é a lição?'

Parece óbvia, não é mesmo? A felicidade não está em coisas. Não está nem mesmo em lugares ou viagens. Tem mais. A felicidade não está em outra pessoa... Não procure isso em ninguém, porque nem seria justo com o ser amado.

Cada um de nós é um universo e tem sua própria percepção do que é o mundo e da vida... Eu asseguro que já vivi o suficiente, em especial observando as pessoas ao meu redor; pra saber que quem mais conseguiu chegar perto do que eu percebo como felicidade, foi o Nietzsche; quando a compara com as borboletas e as bolhas de sabão.

A felicidade são os lampejos, o brilho dos vaga-lumes, os breves piscares de olhos, as estrelas cadentes. A felicidade está apenas nos momentos fugazes e na percepção do 'Agora'. Ela está no hoje. Não está no passado e muito menos no futuro, que pode nem mesmo chegar...

Ah é... Guardar rancor não tá com nada. Não nos leva a nenhum lugar! Odiar é ainda pior. Quem é louco de tomar veneno, desejando a morte do outro?? Por que é isso o que o ódio faz. Perdoe de uma vez. É difícil pra caramba, mas perdoe. Perdoe inclusive à si mesmo (e estou relendo esta frase várias vezes, pois eu costumo ser a minha pior carrasca). Precisamos sim derrubar muros... CONSTRUIR pontes de amor. Resgatar os elos de afeto, se existir o alicerce.

Outro ponto. Faça um favor para si mesmo e para os seres amados (os que te amam e os que você ama): Tenha a certeza da IMPERMANÊNCIA. Tudo muda, o tempo todo. Eu, você, tudo e todos. Não espere que a amizade com alguém, ou o amor por alguém fiquem estáticos no tempo e no espaço. Amizade e amor são escolhas e construções. Sabendo disso, e levando em consideração as mudanças inevitáveis, faça suas escolhas sem cobrar que o outro jamais se transforme.

Saber reconhecer as bençãos da vida nos traz serenidade... Lavar as louças com gratidão, por ter tido alimento no prato e nas panelas; limpar a casa em harmonia, consciente de que ter um teto (seja seu, seja alugado ou emprestado) é uma benção... Deitar a cabeça no travesseiro de noite, plenamente consciente de que VIVEMOS O QUE PRECISAMOS VIVER.

O universo é tão grandioso que mesmo o caos em nossas jornadas não é ao acaso. Tudo flui e contribui para nosso crescimento, para lapidarmos à nós mesmos... Para aprendermos.


E assim, quem sabe, possamos perceber o oceano ao lado de nossa pequena lagoa... Quem sabe poderemos parar de nos preocupar com nosso pequeno e limitado olhar... E assim, possamos buscar o VER e o SER.



terça-feira, 19 de agosto de 2014

É cultural...

(poema de Carolina Magalhães)


Gato na China é vaca
Vaca na índia, cão
Motivo não lhes falta
Pra comer cachorro então

Inseto é iguaria no México
Aqui porco é salsichão
Mas bicho pra mim é gente,
Prefiro comer feijão.
Satisfação é comer de tudo, que não tenha coração

Peixe não dá em árvore
Ovo é menstruação
Leite é bom, pro bezerro
Cálcio vem do almeirão

Grão de bico, lentilha, tofu
Brócolis é ostentação
Até de soja eu encho o bucho
Não fico com fome não!

Então veja bem meu caro
A escolha está na mão
Precisa só coentro, cebola e alho
Proteína boa é feijão

Limonada o ferro dispara
Vitamina C é a razão
Coma couve, beterraba ou aquele bom feijão
(Só adie o cafezinho pro lanche e coma café com pão)

Veganismo ainda é bom pra Gaia
Vou lhe dar a explicação
Cada litro de leite
Tem litros de água e exploração

Não me diga meu amigo
"Cada um faz o que quer"
A feminista muito certa
Vive metendo a colher
Não me diga meu amigo
"Cada um faz o que quer"
Pois a homofobia e o racismo
Não aceitamos sequer
Não me diga meu amigo
"Cada um faz o que quer "
Se queres um mundo justo, ser livre e feliz viver.

Saia de cima do muro
Tome uma decisão!
Não me diga 'um dia eu paro'
Proteína de VEGAN é grão!



--

Arte: Just Vegan, deviantART



terça-feira, 12 de agosto de 2014

Japamala

 

Cada conta, cada nó
Um pouco do meu amor
Somos, nós dois, um só
Luz, sonhos e calor

O violeta da cor das linhas
...é o mesmo do sétimo chacra
Sorrio ao perceber isso
Vida a fluir, nossa jornada

E agradeço ao Universo
OM Mani Padme Hum
Sinto-me una com quem amo
Sei que somos apenas UM


(Flavia Alves)